Mais integração no sistema viário

Inauguração Terminal Tático – 1996

Diante da dificuldade, a primeira atitude de Alberto Mourão relacionada ao transporte foi fazer uma pesquisa sobre o serviço em Praia Grande, o que indicou que o sistema precisava ser aprimorado quanto à pontualidade, lotação e frequência nos picos de operação. Dessa forma, seria necessário implantar um sistema operacional de transporte coletivo baseado em sistema tronco, com a construção de dois terminais de transbordo e integração. O projeto incluía terminais nos bairros Sítio do Campo (Tude Bastos) e Mirim, inaugurados em 1996.

Terminal de ônibus Tático em 1999

Os problemas incluíam as linhas municipais e intermunicipais e ocorriam também devido à própria configuração longitudinal da cidade e à reduzida rede viária. No mesmo ano, a prefeitura iniciou estudos para a implantação de um novo sistema operacional de transporte coletivo, baseado em sistema tronco, com a construção de dois terminais de transbordo e integração: o projeto incluía terminais nos bairros Sítio do Campo e Mirim, inaugurados em 1996. Durante a primeira gestão ainda foram implantadas novas linhas de transporte municipal, algumas para operar de forma convencional e outras de forma expressa, sem paradas nos terminais.

Terminal Tude Bastos – 2020


Ônibus de excursão orla da praia – 1993

Em uma ação conjunta para disciplinar o turismo de um dia e melhorar a imagem da cidade, que era conhecida até então como “terra dos farofeiros”, além da construção das rodoviárias, a Administração criou o projeto modelo de veículo destinado a transporte turístico ao longo da orla da praia e iniciou a fiscalização de excursões, através do Projeto de lei complementar que regulamentou a circulação de ônibus provindos de outros municípios. A ação deu certo, e até hoje a entrada em Praia Grande só é permitida em caso de reserva de hospedagem e estacionamento comprovado. Também há cobranças de taxas, com isenção para ONGs, Igrejas e veículos que transportam atletas de competições esportivas apoiadas pelo município.

Com o controle de visitantes e com a construção dos terminais rodoviários, o turista passou a sentir maior receptividade ao desembarcar em Praia Grande. Dessa forma, a cidade começou a ser vista com outros olhos e essas mudanças foram só o começo.

Pensando em dar mais agilidade ao transporte coletivo de massa, Mourão adotou para Praia Grande o sistema de bilhete único. Praia Grande foi a primeira cidade a utilizar o bilhete único.

Ao longo dos anos, Praia Grande continuou investindo no transporte público a fim de garantir a mobilidade, a segurança e a qualidade de vida da população e de turistas. Atualmente, os terminais rodoviários denominados Tude Bastos (Bairro Sítio do Campo) e Tatico (Bairro mirim) são a base do sistema de transporte público de Praia Grande.

O Município conta com 90 ônibus, desses, 83 estão nas ruas diariamente, atendendo passageiros das 14 linhas municipais que circulam em todos os bairros da Cidade e os demais são usados como reserva técnica, em caso de necessidade.

A frota tem uma idade média de uso de 1 ano e 8 meses, uma das mais novas do Estado e do País. Além de nova, todos os ônibus possuem ar-condicionado, wi-fi e acessibilidade completa (de acordo com especificações da norma de acessibilidade da ABNT-NBR 15570).

Entrega de nova frota de ônibus – 2019

A concessionária responsável pelo transporte coletivo de Praia Grande é a Viação Piracicabana e a distância média entre os pontos de ônibus da cidade é de 400 metros, com exceções em locais onde as características físicas impedem essa condição. O sistema intermunicipal também é integrado ao municipal. O usuário paga somente a diferença entre as passagens para acessar os municípios vizinhos. Além disso, diversas empresas rodoviárias estaduais e interestaduais que passam diariamente pelos terminais.

Praia Grande possui atualmente 123 taxistas registrados e a cidade está em fase de estudos para elaboração de propostas em relação aos transportes por aplicativos. A Administração entende que o assunto deve ser tratado de forma metropolitana.

Transporte Escolar

O transporte escolar regular do município é realizado por 13 veículos. Além de 15 para o transporte da educação especial, inclusão e complementação educacional. O benefício do transporte escolar é concedido aos alunos matriculados acima do perímetro de 2 km de distância entre a escola e a residência e é concedido até que seja possível realizar o atendimento em unidade escolar dentro do perímetro de 2 km. No caso de Educação Especial e Inclusão, o transporte oferecido pelo município dá preferência aos alunos da Educação Infantil e do Ensino Fundamental que sejam cadeirantes ou apresentem severas dificuldades de locomoção e residam a mais de 800 metros do estabelecimento de ensino onde estiverem matriculados.