Macrodrenagem e canalizações

Quando assumiu a Prefeitura, Mourão sabia que o planejamento adequado do sistema de macrodrenagem é fundamental para um bom plano de desenvolvimento urbano. Em geral, nas áreas já urbanizadas, o mau funcionamento desse sistema representa a principal causa de inundações sérias, além de contribuir para o alto custo de galerias de águas pluviais a serem construídas.

Canalização em 1994

O alto índice pluviométrico, devido à localização geográfica, e o crescimento que ocorreu na cidade na década de 80, com invasões de áreas, loteamentos irregulares construídos às margens de rios e mangues, agravaram o problema das enchentes em Praia Grande.

Para melhorar o sistema de drenagem do município, a administração de Mourão apresentou, em 2001, o Plano de Macrodrenagem e Projetos Básicos de Canalizações. O plano apontava situações emergenciais para melhorar o sistema, mostrando que os canais do município precisavam de reparos imediatos. As obras de intervenção compreendem desassoreamento, canalizações, construção de interceptores e sistemas de contenção.

Em 2004, Praia Grande foi colocada entre os beneficiados com recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro), através do Comitê da Bacia Hidrográfica da Baixada Santista. O projeto do município previa a elaboração do Relatório Ambiental Preliminar, para a execução de canais do Plano Municipal de Macrodrenagem.

Canalização Canal Miami

O plano de Macrodrenagem melhorou situação dos canais de Praia Grande, diminuindo enchentes e proporcionando melhor qualidade de vida aos munícipes. Além de evitar enchentes, os serviços de macrodrenagem auxiliam no combate a doenças causadas por mosquitos, ratos e fezes de alguns animais.

Ao longo dos anos e com o crescimento da Cidade, o trabalho não parou. Ciente dos benefícios do plano de macrodrenagem para a população, Mourão estabeleceu metas de execução nos canais da Cidade e atualmente, além dos trabalhos de retificação e revestimento, os mais de 30 canais da Cidade passam por constante manutenção.  A ação é constante e segue cronograma de trabalho que visa contemplar todos os canais a cada 3 meses, no máximo; desta forma, por ano, os equipamentos passam por quatro manutenções anuais. Além da limpeza do fundo e laterais dos canais, funcionários realizam o corte de mato do talude, inclusive em trechos urbanizados. Essa ação evita que o fluxo de água do local seja impedido de seguir pelo sistema por causa destes detritos.

Conheça os principais Canais da Cidade:

Canal DER

A retificação e revestimento do canal do DER, no Bairro Antártica, beneficiou muitos moradores que residem não só no Antártica, mas também no Guilhermina e Sítio do Campo. Isso porque o canal recebe as águas pluviais de uma bacia com 2,7 quilômetros de diâmetro, eliminando riscos de alagamento.

Canal Xixová

Durante a obra da Avenida Ecológica, no Bairro Canto do Forte, no sopé do Parque Estadual Xixová-Japuí, o Canal Xixová foi totalmente reformado. A urbanização do Canal Xixová era uma obra prevista no plano de macrodrenagem do Município, elaborado no final de década de 90. O canal foi revestido com argamassa, permanecendo aberto, só que com maior capacidade de drenagem.

Canal Praião

A entrega da obra de drenagem e urbanização dos 1.720 metros de extensão do canal ocorreu em 2008. O Canal Praião, que corta o Bairro Sítio do Campo, separando as pistas da sua principal via de acesso, a Avenida dos Trabalhadores, recebeu serviços de correção dos taludes, desassoreamento, inserção de aduelas de concreto e revestimento em concreto projetado, além de tratamento paisagístico, com a colocação de gramíneas e palmeiras imperiais. O canal ganhou também oito passagens para pedestres e veículos. As pontes para veículos foram construídas com aduelas de 4 metros de base e 2 metros de altura, localizadas nas proximidades das ruas Satiro de Oliveira; Urbano Caldeira; Soter de Araújo; Dr. Lobo Viana; Paschoal Fernandes e Padre Gastão. Há uma passagem para automóveis e pedestres com 24 aduelas de 3 metros de base por 2 metros de altura.

Canal Acaraú-Mirim

O canal Acaraú-Mirim, localizado no bairro Quietude, recebeu canalização através de perfis metálicos e concreto, seguindo o plano de macrodrenagem de 2001.

Canal Brasil para Cristo

A Prefeitura investiu na urbanização do Canal Brasil para Cristo, no Bairro Quietude, em 2004, realizando obras de recuperação e cobertura de seus 600 metros de extensão.

Canal Pau Brasil

Fez parte de projeto drenagem e urbanização das avenidas Pau Brasil e Estados Unidos, no Bairro Samambaia. Foi entregue em 2006. O trabalho incluiu a abertura de canal revestido com concreto projetado, com cerca de dois quilômetros de extensão, ao longo da Avenida Pau Brasil. O novo sistema de drenagem beneficiou cerca de 20 mil moradores.

Canal Imperador

Entregue conjuntamente com a pavimentação de cerca de 1 km da Avenida Milton de Oliveira, no bairro Esmeralda, em 2014, o canal tem uma extensão de 1,4 km. Após estudos específicos, uma vez que era necessária sua construção em área já povoada, utilizou-se o terreno da Avenida para a instalação do canal, que tem grande parte de sua extensão sob a via. Para isso, foram utilizadas cerca de 700 aduelas de concreto de 2,30m x1,80m.

Canal Miami Paulista

Finalizado em 2006, os serviços compreenderam o assentamento de 1.326 metros de galerias de aduelas de concreto com até 3 x 3,5 metros e mais 724 metros com taludes gramados, totalizando 1.940 metros de extensão. Na época, cobriu trechos dos então bairros Trevo e Melvi (hoje denominados Princesa, Imperador e Melvi). Atualmente o Canal passa por reforma e está sendo totalmente revestido. A obra utiliza um método novo na Cidade: gabiões. O projeto, que já está em execução, contempla também ruas em seu entorno, que estão sendo pavimentadas e as calçadas urbanizadas

Canal Japurá

O Japurá, no Ribeirópolis, é um canal executado já aberto, porém foram realizados os serviços de manutenção e escavação para atender a nova drenagem projetada para seu entorno (bacia), sendo sua cessão atual com abertura variando de 13 a 15 metros de largura por 2,50 metros de profundidade.

Canal Aclimação

Os trabalhos de abertura e canalização do Aclimação começaram na Avenida Rocha Pombo, com a colocação de aduelas em concreto armado nas dimensões de 2,00 metros de altura e 1,50 metros de largura. Mais à frente, na mesma rua, a largura da aduela passou a ser também de 2 metros de largura (total de 600 metros). Na sequência, há trecho em canal aberto (1000m).

Canal das Américas

Finalizado em 2008, o canal Américas tem seu trajeto paralelo à Rua Ana Pereira da França, no Bairro Esmeralda. Com 1.880 metros de extensão, tem trechos abertos (660 metros) e fechados (1.220 metros).

Canal Cruzeiro do Sul

O canal tem 2.340 metros de extensão e tem sua extensão paralela à Rua Ilda Rosa da Cunha. Entregue em 2008, o canal passa por manutenção e terá 1,2 km revestido com placas de concreto e perfis metálicos. O trecho inicia na altura da Rua Ilda da Rosa Cunha e vai até 200 metros após a Rua Fátima do Carmo Morroni dos Santos. Além da pavimentação das vias do entorno, as calçadas terão piso em concreto e ao longo do canal será construída uma mureta com cerca de 40 centímetros, de ambos os lados.

Canal do Barroso

Localizado junto à Avenida Silvio Luiz, no Bairro Sítio do Campo, o Canal do barroso foi urbanizado em 2008, com a correção de taludes e paisagismo e tratamento paisagístico, com a colocação de gramíneas. Atualmente a Prefeitura está executando novas obras de retificação do Canal. O serviço ocorre no trecho que vai da Rua Engenheiro Antônio Lotuffo até altura do Canal dos Japoneses e compreende a escavação e revestimento com perfis metálicos e placas de concreto. Outro destaque dos trabalhos que já estão em desenvolvimento é que um trecho do Canal dos Japoneses, ao qual o Barroso interliga-se, também será revestido com a mesma técnica.

Canal Fouad Beck

Os serviços de retificação e revestimento do Canal Fouad Beck, no Bairro Mirim, foram finalizados em 2013 e compreenderam a canalização, no trecho que vai da Avenida Roberto de Almeida Vinhas (marginal) até a Rua Alberto Figueiredo, totalizando 980 metros. Para isso, foram realizados os trabalhos de abertura, nivelamento, concretagem, colocação de linhas de tubos e aduelas de concreto. Em 2018, o canal foi totalmente urbanizado para dar lugar a uma grande área de lazer com pista de cooper, playground, praça de longevidade e paisagismo. Além dessa urbanização, cerca de 2 quilômetros de vias do entorno foram pavimentadas.

Canal São Paulo

As obras de ampliação da vazão do canal da Avenida São Paulo, no Boqueirão, foram finalizadas em dezembro de 2005. O canal teve sua estrutura reconstruída entre a Rua Embaré e o calçadão da orla. Localizado em uma área totalmente urbanizada, o canal São Paulo (Guilhermina) ganhou uma galeria paralela para reforçar a vazão. Com 1.250 metros, ele recebe a drenagem dos bairros Guilhermina e Boqueirão.

Canal da Vila Sônia

Entregue em 2005, a urbanização do Canal da Vila Sônia, trecho localizado entre as ruas Sergio Gregório e Antonio Cândido da Silva, no Bairro Antártica, eliminou pinguelas e passagens provisórias, trazendo mais segurança e praticidade para o trânsito de pessoas e veículos. Os serviços compreendem a instalação de duas linhas de tubos de concreto e a colocação de aduelas (um tipo de tubulação de concreto, mas com formato quadrado).

Outros

Na Guilhermina, o canal São Salvador foi canalizado ao longo de seus 950 metros. O canal Negro Velho, na Vila Tupi, recebeu uma galeria de reforço paralela, tendo também suas tubulações trocadas e no Solemar, o Rio Itinga recebeu diversas intervenções, com a retirada das tubulações antigas e instalação de pontes de concreto.