Sistema de esgoto – Embora Praia Grande tivesse uma importante concentração populacional, suas condições sanitárias e sistemas de esgotos eram extremamente precários. O nível de atendimento do sistema implantado reduzia-se a partes dos bairros boqueirão, Guilhermina, Tupi, Ocian e um sistema isolado no Conjunto Samambaia. Os demais bairros não possuíam sistema de esgoto, mas sim valas e fossa sépticas, comprometendo as condições sanitárias. O problema afetava a balneabilidade das praias, submetendo munícipes e turistas à contaminação. A fim de solucionar o problema e melhorar a qualidade de vida para a população, foi iniciado o projeto do sistema de esgotamento sanitário, a primeira etapa começou em 1994.

Implantação tubulação de emissário

Caça- Esgoto – Com o objetivo de intensificar as operações que colaborassem com o saneamento básico e o aumento de balneabilidade das praias, Praia Grande foi a primeira cidade a desenvolver uma operação que fiscalizasse ligações irregulares de esgotos na rede coletora de águas da chuva, além de identificar a falta de caixas de gordura e outras irregularidades, evitando lançamentos do esgoto “in natura” ao meio ambiente. Os proprietários dos imóveis são notificados e recebem um prazo determinado para regularizar a situação. A operação Caça-Esgoto passou a ser adotada por diversas cidades do Brasil, passando a ser um programa adotado pela Sabesp.

Operação Caça Esgoto em conjunto com Sabesp