Comprometimento com  infraestrutura da Segurança

Mesmo não sendo obrigação do município, Alberto Mourão sempre deu total apoio ao trabalho da Polícia Civil, desenvolvendo parceria com o Estado para que os agentes de segurança tivessem maior infraestrutura possível para trabalhar.

         Delegacia da Mulher inauguração em 1993

O auxílio prestado por Mourão foi desde doação de viaturas, até terrenos ou prédios para que fossem criadas bases de atendimento, onde a Polícia pudesse exercer de maneira digna sua função.

Em seu último ano de mandato, em 2020, preocupado em prestar melhor atendimento para as vítimas de feminicídio, Mourão cedeu o espaço para que fosse construída uma nova sede para Delegacia de Defesa da Mulher, com atendimento 24 horas.

     Delegacia da Mulher inaugurada em 2020

A parceria com o Governo do Estado permitiu que 325 mil habitantes que residem no município fossem beneficiados com a nova instalação. Entre as melhorias da nova sede está a acessibilidade para pessoas com deficiência e estrutura para oitivas especiais, além de salas para atendimento médico e psicológico, o lugar também conta com um espaço para crianças brincarem, enquanto a mãe presta queixa, por exemplo.

IML

Em 2013, o Instituto Médico Legal de Praia Grande teve suas atividades suspensas , devido a uma determinação do Ministério Público, que apontava problemas estruturais no prédio onde o IML estava instalado, ao lado do Cemitério Municipal, no bairro Antártica. Desde então, as pessoas que precisavam de algum serviço do órgão  tinham que ir até  Santos.

Preocupado com a situação da população e prevendo os problemas que surgiriam em decorrência do deslocamento de uma cidade para outra,  Alberto Mourão se colocou à disposição da Superintendência da Polícia Científica, de quem é a responsabilidade pelos IMLs, para doar os terreno para construção de um novo Instituto Médico Legal (IML) na Cidade.

Em 2015, Alberto Mourão, na função de prefeito, oficializou a doação da área de aproximadamente 2 mil metros quadrados à Fazenda do Estado, o que possibilitou a retomada dos exames de corpo de delito em aproximadamente 20 dias.