Guarda passa por processo rigoroso de seleção

Um dos trabalhos mais importantes realizados por Alberto Mourão foi a criação de uma Guarda Civil Municipal (GCM) organizada, equipada e preparada para atuar não somente na proteção do patrimônio público, mas também no zelo ao bem-estar de munícipes e turistas de Praia Grande.

Formatura em 2019 Guarda Civil Municipal

A corporação da GCM existe desde 1969, quando era chamada de Serviço de Vigilância e Salva Vidas. Ainda na primeira gestão, em 1993, o prefeito iniciou os investimentos em Segurança Pública, com a construção da primeira central de comunicação computadorizada na Guarda Civil Municipal, aquisição de novas viaturas e equipamentos de rádio comunicação, a Criação do Serviço de Fiscalização Náutica, ampliação do efetivo e criação do Pelotão ROPAM. De lá para cá, foram algumas modificações até que, em 2001, com a aprovação da Lei Complementar 269/01, a GCM recebeu uma nova estruturação. Os guardas deveriam ter formação em ambiente universitário, com o apoio das polícias Civil e Militar.

Um dos diferenciais dos guardas foi que para integrar a corporação da GCM, o candidato passa por um rigoroso processo de seleção, realizado por meio de concurso público, composto por prova objetiva, avaliações física e psicológica, além do curso de formação de mais de 900 horas/aula com cerca de cinco meses de duração, incluindo aulas de tiro. Esse, aliás, é outro avanço da guarda praia-grandense, primeira corporação da região autorizada a usar arma de fogo.

A GCM de Praia Grande também conta com grupamentos específicos, como a Guarda Ambiental, que atua na contenção de invasão de áreas de preservação ambiental e também no resgate de animais silvestres; a Costeira, que fiscaliza o espaço marítimo e as praias da cidade, mantendo zerado o índice de acidentes com embarcações de lazer e de pesca; e o Canil, responsável pela complementação de ações e operações de segurança pública isoladamente ou em apoio às outras unidades da Guarda.

Outro número que representa o crescimento da corporação é a frota de veículos. Para se ter uma ideia, em 2001, 24 veículos entre viaturas e administrativos compunham a frota. Atualmente, o número apenas de viaturas chega ao dobro, incluindo ônibus, bases móveis, pick-ups, além de bicicletas e quadrículos.