Inovação gera eficiência em serviços

Criatividade é uma marca registrada em Alberto Mourão. O então chefe do Executivo sempre foi muito focado em soluções, não se abatendo por crises, como as que constantemente acontecem no sistema de Saúde do País.

No ano de 2020, os problemas na área não afetaram só o Brasil, mas sim o mundo inteiro. A Covid-19 tirou a vida de milhares de pessoas. Todos os governantes passariam a ser imprescindíveis no combate à doença.

Central Telefônica combate  à Covid-19

Central de Atendimento- Em Praia Grande, Mourão mostrou agilidade, criatividade e competência para ajudar a cidade a enfrentar o coronavírus. Logo que a quarentena foi decretada pelo Estado de São Paulo, o prefeito, trabalhando com sua equipe, criou um central telefônica para atender aos munícipes. Dentre as funções do serviço estavam: esclarecer dúvidas e prestar orientações à população; fazer a triagem dos pacientes e encaminhá-los para atendimento médico; ligar para os pacientes e falar sobre os resultados dos exames; em casos de testes positivos para Covid-19; e tratar da internação do paciente e fazer o acompanhamento da recuperação, quando o mesmo receber alta. Atualmente, cerca de 9 mil atendimentos já foram realizados.

O serviço oferecido pelo número 162 é desenvolvido por uma equipe multidisciplinar da Secretaria de Saúde Pública da cidade, formada por médicos, enfermeiros e outros profissionais do setor.

Por telefone, qualquer pessoa pode explicar sua condição de saúde. Assim, os profissionais podem identificar e classificar o risco de contágio do coronavírus, aplicando o protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde.

Prontuário eletrônico- Admirador incontestável da tecnologia, Mourão procurou encontrar na inovação um caminho para dar agilidade aos processos. Para a área da Saúde, ele buscou inspiração em sistemas de outros países, que demonstrassem mais eficiência nos atendimentos médicos.

Nos Estados Unidos, por exemplo, o Governo chegou a criar incentivo financeiro para que médicos e clínicas passassem a adotar prontuários eletrônicos, com objetivo de criar um cadastro de saúde da população americana. A ação permite uma padronização eficaz, promovendo integração de dados, além de diminuir as chances de erros, como ilegibilidade da letra do médico.

Prontuários de papel estão sempre suscetíveis a falhas, como extravio e quebra de sigilo, isso sem contar a necessidade de ser reformulado a cada vez que o paciente passa por consulta com um médico diferente, aumentando a possibilidade de as informações estarem incompletas.

O prontuário eletrônico permite que seja criado um histórico on-line do paciente. Dessa forma, de maneira contextualizada, médicos, enfermeiras e técnicos podem ter mais eficácia na hora de realizar um tratamento ou procedimento.