Programa De Olho no Futuro

Iniciativa inédita da Prefeitura de Praia Grande, o Programa ‘De Olho no Futuro’, desenvolvido por Alberto Mourão, tem como objetivo identificar possíveis dificuldades visuais em alunos das escolas municipais com idade de 4 a 7 anos e, desta forma, evitar que isso possa causar baixo rendimento acadêmico. Após os exames de acuidade visual, o ponto alto das ações é a entrega gratuita de óculos para as crianças que são diagnosticadas com algum problema.

         Diversas crianças foram beneficiadas

O programa praia-grandense ocorre de forma conjunta entre as secretarias municipais de Educação (Seduc) e Saúde Pública (Sesap). A ação conta também com parceria do Instituto Cultural Dalton Pinheiro Pedroso, responsável por disponibilizar os equipamentos doados para as crianças.

Até o momento, mais de 200 alunos da rede municipal de ensino já receberam gratuitamente óculos no Programa. Mas os números comprovam o alcance ainda maior da iniciativa. Com a inserção dos alunos das turmas de 1º ano do Ensino Fundamental, o ‘De Olho no Futuro’ atendeu mais de 12 mil crianças até o final do ano. Outro destaque é que as consultas com o corpo clínico ocorrem em escolas polo, facilitando assim o acesso aos procedimentos e agilizando o desenvolvimento da ação.

             De Olho no Futuro oferece óculos para os alunos

Programa de Educação Ambiental

O Departamento de Educação Ambiental (DEA) de Praia Grande foi criado por Alberto Mourão em 1996. Assim, a implantação de uma unidade específica voltada para Educação Ambiental no município ocorreu antes da promulgação da lei referente à inserção desse assunto como tema transversal nos currículos escolares.

Aula de Educação Ambiental para alunos do CAMP

O projeto surgiu quando o prefeito criou a Patrulha do Verde, uma ação de conscientização ambiental para crianças que se consolidou como o Departamento de Educação Ambiental, instalado na área de lazer Ézio Dall’acqua (o Portinho), onde milhares de crianças aprendiam sobre a importância do meio ambiente. O projeto cresceu ao longo dos anos e continua desenvolvendo trabalhos sobre a temática ambiental na rede municipal.

Atualmente, o departamento possui ambientes específicos para cada tipo de aula. Com 540 metros quadrados, o prédio possui laboratório para experiências biológicas e físico-químicas, biblioteca ambiental, museu biológico (com animais taxidermizados, herbários, esqueletos etc.), sala para oficinas de reciclagem, além de sala de aula convencional para as aulas teóricas, equipada com aparelhos para exibição de vídeos.

Do lado de fora, uma estufa abriga hortas orgânicas, hidropônicas e mudas de árvores para que os alunos aprendam, na prática, a lidar com plantas e a cultivar hortas. Nos arredores da escola, os estudantes fazem aulas vivenciais sobre o manguezal.

Pedagogia Comunitária

A iniciativa nasceu em 2005, como proposta do jornalista Gilberto Dimenstein. Em visita a Praia Grande, ele colocou a figura do pedagogo comunitário como elo entre a comunidade, a família e a escola.

¨Pedagogia Comunitária¨ vence Prêmio A Tribuna

O trabalho visa fortalecer o vínculo família-escola. Em 2020, a rede conta com uma equipe de 31 pedagogas comunitárias (em média, uma pedagoga para cada duas escolas), uma função criada especificamente para desenvolver trabalhos voltados para pais e comunidade do entorno escolar. As pedagogas desenvolvem ações como Oficina de Pais, encontros temáticos com as famílias dos estudantes (abordando temas como drogas, educação de filhos, prevenção à saúde etc.), visitas às residências de alunos faltosos (para combater a evasão), entre outras ações que visam o fortalecimento do vínculo família-escola.

Bolsas de estudos

No ano de 1994, houve a readequação na oferta dos benefícios fiscais para as Escolas Particulares em troca de bolsa de estudos aos alunos dos segmentos da Educação Infantil, 1º e 2º graus, atualmente Ensinos Fundamental e Médio. No período de 2002 a 2018, mais de 7 mil bolsas foram distribuídas.

Atualmente, o benefício é definido pela Lei Complementar nº. 497/07 e alterações, e disciplinado pelos Decretos nº. 4.326 e 4.327/08, destacando que o benefício contempla alunos com bolsas de 50% (cinquenta por cento) e 100% (cem por cento), sendo a primeira para os alunos matriculados nos segmentos de Educação Infantil, Ensinos Fundamental e Médio, e a segunda para àqueles alunos que representem esportivamente o Município dos segmentos dos Ensinos Fundamental e Médio.

Evasão escolar

Desde a primeira gestão do prefeito Alberto Mourão, a Administração Municipal de Praia Grande tem dado atenção especial à frequência escolar dos alunos. O Prefeito implantou, em 1996, o projeto denominado Evasão Escolar, que visa prevenir a evasão, evitando que o aluno abandone os estudos.

Com esse projeto, Praia Grande cumpriu com antecedência a meta decretada pelo Governo Federal que determina o “combate à evasão escolar e o acompanhamento dos motivos de não frequência do educando”. Graças a esse trabalho, a taxa de abandono da escola caiu, fazendo com que a cidade tenha um índice bem inferior ao registrado no país.

Rede Porto do Saber – Bibliotecas

Porto do Saber – Bairro Samambaia

A leitura abre caminhos, abre a mente, abre um novo mundo. Com esse pensamento, Alberto Mourão sempre valorizou a leitura, seja por meio de obras físicas ou digitais.

Por isso, em Praia Grande, a rede Porto do Saber conta com 34 bibliotecas, sendo 29 escolares, 2 escolares-comunitárias, 2 comunitárias e 1 comunitária temática. As bibliotecas são padronizadas, seguindo os modelos de instalações da biblioteca matriz do Porto do Saber. Cada biblioteca escolar tem três mesas de seis lugares, 18 cadeiras almofadadas e 12 pufes. Inicialmente, são disponibilizados para cada unidade escolar cerca de 1.500 livros de diversos gêneros literários, como contos, crônicas, romances, poemas, história em quadrinhos, revistas e vídeos.

Porto do Saber – Bairro Boqueirão

O acervo é informatizado, para facilitar as pesquisas bibliográficas e a consulta de títulos disponíveis pela internet. Cada unidade escolar conta com o trabalho de um auxiliar de biblioteca que, além de orientar os estudantes quanto à localização dos livros, ainda desenvolvem projetos diferenciados de incentivo à leitura.

Porto Aprendiz

O complexo reúne o Centro da Memória da Educação e a Plataforma do Educador. O Centro da Memória da Educação disponibiliza para estudos e pesquisas documentos de valor histórico produzidos pelas escolas e pela Secretaria de Educação, reconstruindo a memória da Educação Municipal. A iniciativa é pioneira no Estado de São Paulo. O espaço conta com acervo de documentos, laboratório de história oral, espaço para exposições, biblioteca de história da educação, salas de pesquisa, de conservação e restauro de documentos.

O acervo está disponível ao público para consultas e pesquisas. A Plataforma do Educador é um local destinado aos professores, educadores de apoio e equipe técnica, visando o aperfeiçoamento da prática pedagógica, troca de experiências, formação, capacitação e aprimoramento dos educadores.

Porto do Aprendiz plataforma do educador