Praia Grande é referência em Educação Especial

Grande defensor da Educação Especial, Alberto Mourão sempre promoveu ações para estas pessoas e é uma área da qual se sente extremamente envolvido. Quando vereador, ainda na década de 80, o prefeito teve aproximação com a ADPG (Associação de Deficientes de Praia Grande), a qual ajudou a fundar, na Rua Limeira, no Bairro Guilhermina. Ele participava de grupo com pessoas que lideravam o movimento. Foi quando em uma época em que não havia uma consciência de inclusão e acesso, foi formada a classe de estimulação.

Na época, existiam apenas três ou quatro salas em escolas estaduais que recebiam esses alunos. E em uma iniciativa do então secretário de educação, Alberto Mourão, com a psicóloga Glória Santana e de Ana Maria da Silva, foram criadas as primeiras classes de estimulação, que atendiam individualmente as crianças da pré-escola que tinham dificuldade de aprendizagem. Já em 1993, Mourão criou a Divisão de Educação Especial e o trabalho não parou mais.

Abertura da Mostra Cultural com alunos da Escola Anahy Navarro Trovão

Mesmo com determinações para que não se tivesse classes de educação especial, apenas de inclusão, Mourão insistiu nesta área, destacando que existem algumas deficiências e até mesmo idades que demandam de um atendimento específico.

Atualmente, Praia Grande conta com as unidades de Educação Especial Anahy Navarro Trovão e Sérgio Vieira de Mello, cada uma com cerca de 110 alunos. Elas oferecem atividades diversas, como oficinas de artesanato, de culinária, atividades esportivas etc.

A Escola Municipal Anahy Trovão existe desde 1996, quando uma moradora da cidade chamada Ana Carolina Correa da Costa escreveu uma carta para o então prefeito pedindo a construção de uma escola de educação especial para sua irmã.

Fachada da Escola Anahy Navarro Trovão

Já a Escola Municipal de Educação Especial Sérgio Vieira de Mello foi inaugurada em março de 2004, e homenageia o alto comissário de Direitos Humanos da ONU, que faleceu em atentado no Iraque.