Mourão transforma Praia Grande em polo turístico

 Quem ouve falar que hoje Praia Grande é um dos quatro destinos mais visitados do Brasil, nem imagina qual era a imagem da Cidade para turistas e moradores durante os anos 90. O Município não deixava de conquistar manchetes em jornais de grande circulação, como O Estado de São Paulo. Mas não era por um motivo positivo, a foto estampada era de esgoto a céu aberto na areia da praia; o título, geralmente alertava à população sobre a falta de balneabilidade das praias. No início da década de 90, as praias estavam bem degradadas e sujas. Os únicos turistas que se arriscavam a vir eram aqueles de um dia, que chegavam na praia e promoviam algazarras, trazendo transtornos à população.

Vista aérea Portinho e Entrada de Praia Grande

Falta de balneabilidade era apenas um dos problemas. Quando assumiu o governo pela primeira vez, em 1993, Alberto Mourão encontrava problemas em toda infraestrutura necessária para atrair turistas. Alguns dos problemas eram falta de saneamento básico, segurança, serviços emergenciais de saúde, locais para hospedagem, transporte, locais para lazer, lugares adequados para alimentação e falta de informação turística, já que com dívidas absurdas deixadas pelo governo anterior, a Prefeitura não tinha como arcar com serviços de publicidade para fazer a divulgação, por exemplo. Contudo, todo esse caos não intimidou Mourão. Ciente do diagnóstico catastrófico que tinha em mãos, ele reuniu esforços para transformar a realidade da Cidade, suportando assim a pressão política e dos moradores, que muitas vezes tinham vergonha de falar que residiam no município.

Com ímpeto e visão diferenciada, enxergando oportunidade onde a maioria das pessoas não via, Alberto Mourão tinha consciência de que transformar Praia Grande em uma cidade turística seria seu maior desafio, já que para isso teria que reparar todos os demais setores. Mas ele sabia exatamente onde queria chegar e como chegar lá.

Show Jair Rodrigues – 1994

Em 1994, o Município passou a contar com o primeiro calendário anual de eventos, que é seguido até hoje pela Secretaria de Cultura e Turismo, sendo preenchido cada vez mais com eventos culturais, gastronômicos e de lazer. E quem pensa que Mourão teve um pensamento pequeno para construir esse calendário, está muito enganado.

Enquanto quase nenhuma cidade do Brasil realizava shows em praias, Mourão e sua equipe convidaram o cantor Roberto Carlos para fazer uma apresentação nas areias da Cidade, e o Rei aceitou o convite, onde tocaria pela primeira vez de sua carreira em um palco montado na praia. A partir de então, o município virou referência nesse tipo de espetáculo. Várias cidades começaram a seguir o modelo de eventos nas praias. O sucesso predomina até hoje, tanto que Roberto Carlos fez não só uma apresentação, mas sim, duas, já que em 2019, ele retornou para fazer o show de aniversário de Praia Grande.

Festa Vila Junina

Paralelo a uma agenda de eventos de peso, Mourão procurava resgatar a autoestima dos moradores, mostrando o quanto era importante valorizar a cultura local. Não se tratava de inventar uma história, mas sim de trazer à tona os acontecimentos. Por vezes, Mourão observava como outros países conseguiam atrair gente o ano inteiro; é o caso de Londres, em que uma simples troca de guarda no Palácio de Buckingham tem o poder de reunir milhares de pessoas para assistir um ato que se tornou rotina naquele local. Isso só foi possível porque os britânicos valorizam a história do país, a ponto de despertar o interesse dos turistas, que acabam deixando milhões de libras para os cofres Ingleses. E foi com esse pensamento que o chefe do Executivo de Praia Grande começou a criar ainda mais condições favoráveis para o turismo, pois ele sabia que cada lugar tinha suas características. Era uma questão de saber aproveitá-las e transformá-las em atrações turísticas que pudessem atrair e encantar as pessoas.

Feira de Artesanato Praça Portugal

Além da eliminação dos esgotos e da urbanização da orla, para tornar a cidade mais atraente para os turistas e despertar o orgulho dos moradores, a Administração investiu na construção de praças, playgrounds, ciclovias e também substituiu por quiosques as barracas de ambulantes que existiam encostadas nas muretas da praia, formando uma espécie de muro, impedindo que as pessoas conseguissem ter uma visão agradável da praia, atrapalhando também aqueles que desejavam praticar alguma atividade física ou ter um espaço para os seus filhos brincarem. Atualmente, outra melhoria: os quiosques estão sendo substituídos por restaurantes, onde as pessoas terão oportunidade de melhor se acomodarem e experimentarem as delícias gastronômicas que o litoral pode oferecer.

Além da beleza da orla da praia e dos atrativos naturais, fazem parte do roteiro turístico daqueles que visitam a Cidade as feiras de artesanato localizadas nos bairros Guilhermina, Ocian, Caiçara e Solemar, que dispõem de uma estrutura especialmente projetada para que os artesãos possam expor e vender aquilo que produzem.

Apresentação no Portinho

Entre os pontos turísticos, podemos destacar as belezas da Fortaleza de Itaipu, o Parque da Cidade, a Área de Lazer Ézio, Dall’Acqua (conhecida como Portinho), as praças da Paz e Duque de Caxias, o Palácio das Artes, as Feiras de Artesanatos e as estátuas de Iemanjá e Netuno. O incentivo ao turismo também se dá por promoção de eventos durante todo o ano.

Ao contrário de campanhas que difamavam Praia Grande, a indústria do turismo estimulou o crescimento do comércio na cidade. Além de ser considerada um dos destinos mais visitados do País durante o verão, Praia Grande recebeu a melhor classificação no novo Mapa do Turismo Brasileiro.